Curso: História Comparada da Escravidão Africana no Atlântico Ibérico

 

Data: 25 e 27 de novembro, 2, 4, 9 e 11 de dezembro de 2014.

 

Horário:  Terça: 14:00 - 18:00 

                 Quinta: 14:00 - 18:00 

 

Local: Prédio da História (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP)

 

Docentes responsáveis: Rafael de Bivar Marquese e Gabriel Aladrén

 

Objetivos: O objetivo deste curso é discutir a escravidão africana no Atlântico Ibérico, 
desde o século XVI até o início do século XIX. Parte-se da ideia de que as construções dos 
impérios ultramarinos espanhol e português foram processos estreitamente interligados e
mutuamente condicionados, desde o período da expansão marítima até a consolidação das 
sociedades coloniais. Um conjunto de características comuns, de natureza econômica, 
social, política e cultural, permite pensar em um sistema atlântico ibérico, que se estrutura 
na passagem do século XVI para o XVII e entra em crise na virada do XVIII para o XIX. 

 

Programa: 

1. Os asientos e o tráfico transatlântico de escravos.

Texto base: Alencastro, Luiz Felipe de. “Lisboa, capital negreira do Ocidente”. O trato dos 
viventes: formação do Brasil no Atlântico Sul, séculos XVI e XVII. São Paulo: Companhia 
das Letras, 2000, pp.77-116; 402-413 (notas).
Complementar: Delgado Ribas, Josep M. “The slave trade in the Spanish empire (1501-
1808): the shift from periphery to center”. In: Fradera, Josep M. e Schmidt-Nowara, 
Christopher (orgs.). Slavery and antislavery in Spain’s atlantic empire. Nova York: 
Berghahn, 2013, pp. 13-42. 

 

2. Estruturas econômicas: sociedades com escravos e sociedades escravistas 
nas Américas portuguesa e espanhola.

Texto base: Blackburn, Robin. A construção do escravismo no Novo Mundo: do barroco ao 
moderno, 1492-1800. Rio de Janeiro: Record, 2003, pp. 161-199; 599-617.
Complementar: Cardoso, Ciro F. S. “Sobre los modos de producción coloniales de 
América”. In: Sempat Assadourian, Carlos (org.). Modos de producción en América Latina. 
Cuadernos de Pasado y Presente, n. 40, 1973, pp. 135-159.

 

3. Raça e hierarquias sociais no Brasil e na América espanhola.
Texto base: Fradera, Josep M. "A cultura de 'castas' e a formação do cidadão moderno (um 
ensaio sobre a particularidade do império espanhol)". In: Berbel, Márcia e Oliveira, Cecília 
Helena de Salles (orgs.). A experiência constitucional de Cádis. Espanha, Portugal e Brasil. 
São Paulo: Alameda, 2012, pp.77-108.
Complementar: Mattos, Hebe. “A escravidão moderna nos quadros do Império português: 
o Antigo Regime em perspectiva atlântica”. In: Fragoso, J.; Bicalho, M. F.; Gouvêa, M. F. 
(orgs.). O antigo regime nos trópicos: a dinâmica imperial portuguesa (séculos XVI-XVIII). 
Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001, pp. 141-162. 

 

4. Escravidão e as reformas ilustradas nos impérios ibéricos.
Texto base:
Adelman, Jeremy. “Capitalism and slavery on imperial hinterlands”. 
Sovereignty and revolution in the Iberian Atlantic. Princeton: Princeton University Press, 
2006, pp. 56-100.
Complementar: Berbel, Márcia; Marquese, Rafael; Parron, Tâmis. “Brasil, Cuba e os dois 
primeiros sistemas atlânticos”. Escravidão e política. Brasil e Cuba, 1790-1850. São Paulo: 
Hucitec, 2010, pp. 21-93.

 

5. Escravidão e fronteira na América do Sul: o Brasil e o Rio da Prata.
Texto base:
Aladrén, Gabriel. Sem respeitar fé nem tratados: escravidão e guerra na 
formação histórica da fronteira sul do Brasil (Rio Grande de São Pedro, c. 1777-1835). Tese 
de Doutorado. Niterói: UFF, 2012, pp. 50-104.
Complementar: Garavaglia, Juan Carlos. “The economic role of slavery in a non-slave 
society. The River Plate, 1750-1860”. In: Fradera, Josep M. e Schmidt-Nowara, Christopher 
(orgs.). Slavery and antislavery in Spain’s atlantic empire. Nova York: Berghahn, 2013, pp. 
74-100. 

 

6. A crise de 1808, as independências e a escravidão no Atlântico ibérico.
Texto base:
Berbel, Márcia; Marquese, Rafael; Parron, Tâmis. “A crise do sistema atlântico 
ibérico e a escravidão nas experiências constitucionais de Cádis, Madri, Lisboa e Rio de 
Janeiro, 1790-1824”. Escravidão e política. Brasil e Cuba, 1790-1850. São Paulo: Hucitec, 
2010, pp. 95-181.
Complementar: Blackburn, Robin. American Crucible: slavery, emancipation and human 
rights. Londres: Verso, 2011, pp. 251-273; Blackburn, Robin. A queda do escravismo 
colonial, 1776-1848. Rio de Janeiro: Record, 2002, pp. 353-443.