Tâmis Parron

 

Organizou os livros Cartas a favor da escravidão (Hedra, 2008) e Ação, reação, transação e seus textos (Edusp, no prelo). É autor de A política da escravidão no Império do Brasil, 1826-1865 (Civilização Brasileira, 2011) e escreveu, em coautoria com Rafael Marquese e Márcia Berbel, Escravidão & Política: Brasil e Cuba, 1790-1850 (Hucitec, 2010), também publicado em inglês com o título Slavery and Politics: Brazil and Cuba, 1790-1850 (University of New Mexico Press, 2016). Em 2015 concluiu o Doutorado A política da escravidão na era da Liberdade: Estados Unidos, Brasil e Cuba, 1787-1846. Atualmente, é pós-doutor na Universidade Federal do Estado de São Paulo (UNIFESP) e escreve uma história comparativa integrada dos Estados Unidos, do império espanhol e do Brasil no primeiro século XIX (1780-1865). Suas pesquisas foram financiadas pela Fapesp, e A política da escravidão no Império do Brasil ganhou o Prêmio Jabuti 2012 na categoria Ciências Humanas.

 

Parron is the author of A política da escravidão no Império do Brasil, 1826-1865 (Civilização Brasileira, 2011), which received the Jabuti Award in the Humanities in 2012, and co-authored, with Rafael Marquese e Márcia Berbel, Escravidão & Política: Brasil e Cuba, 1790-1850 (Hucitec, 2010), which has been published in English as Slavery and Politics: Brazil and Cuba, 1790-1850 (The University of New Mexico Press, 2016). He also edited Cartas a favor da escravidão (Hedra, 2008) and Ação, reação, transação e seus textos (Edusp, forthcoming). He concluded his Ph.D reasearch in 2015, which expanded his earlier works and is entitled The Politics of Slavery in the Age of Freedom: United States, Brazil, and Cuba, 1787-1846. Currently, Parron is fellow at UNIFESP (Federal University of the State of São Paulo) and is writing an encompassing comparative history of United States, the Spanish Empire and Brazil in the first half of the nineteenth century (1780-1865). All his researches have been supported by Fapesp. 

Currículo Lattes

 

Publicações online:

(com Alain El Youssef e Bruno Fabris) Vale Expandido: contrabando negreiro  e a construção de uma dinâmica política nacional no Império do Brasil. In: Almanack Braziliense. 7 (mai. 2014): 137-159.

Em defesa das revoluções: capitalismo e escravidão na formação do mundo contemporâneo. In: Afro-Ásia. 48, jul.-dez. 2013: 385-394.

(com Rafael Marquese) Internacional escravista: a política da Segunda Escravidão. In: Topoi. 12 (23), julho-dezembro 2011: 97-117.  

(com Rafael Marquese) Revolta escrava e política da escravidão: Brasil e Cuba, 1791-1825. In: Revista de Indias. LXXI (251), janeiro-abril 2011: 19-52.   

A política da escravidão no Império do Brasil, 1826-1865. Dissertação. São Paulo: USP, 2009.

(org.) Cartas a favor da escravidão. Hedra: São Paulo, 2008. 

A Nova e Curiosa Relação (1764): escravidão e ilustração em Portugal durante as reformas pombalinas.  In: Almanack Brasiliense. 8, nov. 2008: 92-107. 

A política do tráfico negreiro: o Parlamento imperial e a reabertura do comércio de escravos na década de 1830. Estudos Afro-Asiáticos, v. 1-2-3 (2007): 91-121.

(com Rafael Marquese) Azeredo Coutinho, Visconde de Araruama e a ‘Memória sobre o comércio dos escravos” de 1838. In: Revista de História. 152, 2005: 99-126.